2NK: História, viagem e aventura [Parte 1]

Mais do que uma aventura alucinante pela Europa

A ida ao Cabo Norte é uma daquelas viagens de que se ouve falar e se sonha em fazer um dia. O sonho rapidamente começou a tornar-se realidade, mas não o poderíamos concretizar de forma simples e rápida sem complicar!

Recuando a agosto de 2016, uma primeira conversa ainda com alguma incerteza começou a dar sentido a tudo o que teríamos pela frente, assim como a dar forma a muito mais do que uma simples viagem. Com este relato vão ficar a saber a história d’asviagens.com como a vemos hoje em dia, integrando a viagem ao Cabo Norte, sendo o culminar de vários meses de trabalho e ao mesmo tempo o inicio de um projeto com mais ideias e ambições.

Conhecemo-nos poucos meses antes de agosto 2016 na Rod’aventura, durante um dos convívios semanais. Ambos tínhamos blogs de viagens e a vontade de criar algo maior. O Arnaldo tinha parte da viagem desenhada e falou-me nela pela primeira vez durante a Concentração em Góis. Pouco tempo depois esta tornou-se na nossa viagem e começámos a projetar o que viria a ser o início do atual projeto asviagens.com! O Arnaldo tem um historial já bem preenchido em viagens de aventura, o meu é mais recheado com outro tipo de viagens, que convergem cada vez mais do turismo convencional também para a aventura. Decidimos juntar os blogs e criar um portal com nova imagem, página de facebook, instagram e canal youtube. A página de facebook é mais ativa, enquanto o portal retrata em modo artigo todo o nosso passado e presente em viagem. O youtube mostra em vídeo parte do que temos realizado, o instagram faz o mesmo em modo foto. Ficaram todos online em janeiro 2017! O foco é agora maior em viagens de mota, no entanto temos mais conteúdos disponíveis, como viagens de autocaravana, bicicleta, avião ou canoa.

 

Uma aventura e não turismo

Nunca tínhamos feito uma viagem tão grande e a ideia de passeios mensais com amigos tornou-se ao mesmo tempo numa fase de testes para o que viria a ser a viagem ao Cabo Norte. Não seria feita em modo turismo, mas sim aventura! Os primeiros meses antes da grande viagem, entre agosto 2016 e janeiro de 2017, foram meses de preparação. Todo o material de campismo que comprámos, foi testado em condições adversas para que soubessemos o que poderia resultar, sendo ao mesmo tempo leve e compacto (íamos enfrentar tanto 40C como 0C, sol e calor, frio e chuva).

Também não eram certos os dias que teríamos disponíveis para realizar a viagem. A ideia inicial  foi a de usar 22 dias durante o mês de julho para os quais projetámos 16000km, pensámos em vários nomes para a viagem e acabámos com 2NK: 16000km pela Europa (2: Two/to NordKapp). Mais tarde conseguimos ter um mês disponível e pensámos em usar 29 dias, ao acrescentar pontos de passagem tínhamos mais de 17000km para fazer e acabámos por realizar 17500km. Queríamos acampar o máximo possível, usar a plataforma de couchsurfing, dormir em casa de um ou outro amigo e usar o hostel ocasional.

Teria de ser feito com o espaço de 3 malas e um saco de depósito, sem drybags exteriores, onde teria de caber todo o campismo, roupa, comida, eletrónica e algumas surpresas que viriam mais tarde. Além disso a viagem foi pensada de modo a ter aventura e pontos de interesse do inicio ao fim e não apenas o Cabo Norte, com trajetos de ida e volta diferentes, teria também que ser documentada em foto e vídeo.

 

Uma XT para ti, uma XT para mim

Trocámos de motas em fevereiro de 2017. As fiéis Honda Transalp e Suzuki V-Strom deram lugar a duas Yamaha Super Tenere XT1200Z, uma feia outra bonita, nunca concordamos em qual é qual. Sendo uma das minhas motas de eleição, depois de vários test-rides a vários modelos, ambos queríamos mudar e concordámos que seria a melhor mota para a viagem. Comprámos as motas, cada uma delas usada e em semanas diferentes, adicionámos todos os extras, criámos algumas peças personalizadas e adaptámos tudo o que achámos necessário ao longo dos meses.

Fizemos as nossas próprias revisões completas e escolhemos pneus que durassem todo o percurso além de nos permitirem algumas incursões fora de estrada. Duas, três, quatro, cinco vezes por semana os nossos serões foram passados na Arny’s Garage, a nossa “oficina”, muitas vezes rodeados de amigos, muitas vezes sozinhos, sempre com algo para montar, desmontar ou inventar.

 

Grão a grão..

Com a evolução do nosso projeto e tudo envolvido no tipo de viagem desenhada, cresceu o interesse exterior e passámos a ter o patrocínio oficial da I’m In Motion, produtora onde o Arnaldo é editor. Apoiaram-nos com a criação de conteúdos multimédia (como o nosso vídeo de apresentação animado) e angariação de outros patrocínios, o que resultou no patrocínio principal da Ginja d’Óbidos – Vila das rainhas e nos patrocínios da BP Portugal, NEXX Helmets e Impetus Underwear. Adicionalmente tivemos o apoio desde sempre por parte dos nossos amigos na Rod’Aventura, onde comprámos maior parte do material, além de termos uma pequena ajuda em produtos KLIM (nomeadamente nos casacos Badlands) por parte da AMS.

Tudo cresceu valorizando o projeto, mas também cresceu a nossa responsabilidade. Algumas marcas podem não fazer sentido á primeira vista, mas tudo encaixou na perfeição! Levámos (literalmente) a Vila das Rainhas para a dar a provar em todos os cantos por onde passámos e obtivemos ótimas reações. Os Nexx XD1 cumpriram perfeitamente o objetivo em todas as condições climatéricas, assim como a roupar interior desportiva da Impetus, ambos não podemos deixar de recomendar. A BP seria a marca mais óbvia e a rede europeia onde se pode utilizar o cartão Routex também nos facilitou a viagem.

 

A ansiedade de 1 ano em 1 dia

Chegou a véspera da nossa partida e as duas semanas anteriores foram stressantes. A mota do Arnaldo sofreu uma queda, parada, num parque de estacionamento, o que nos deixou preocupados pois já não tínhamos tempo nem disponibilidade para problemas graves. Felizmente era um arranjo simples e tudo se resolveu rapidamente (Obrigado Almerindo!!).

Tudo estava pronto uma semana antes da viagem, a I’m In Motion esteve essa última semana de junho em peso nos Açores e só íamos estar juntos para acertar pormenores neste dia. Não contava dormir muito, o arranque era no Padrão dos Descobrimentos, a ansiedade do último ano estava toda concentrada no dia de hoje, e muitos amigos, familiares e conhecidos iam-nos nos ver partir. Estava na hora. Será que tudo vai resultar? Esquecemo-nos de algo? Estamos à altura do desafio? Dia 1 de julho de 2017 pelas 10:00h saímos do Padrão dos Descobrimentos com cerca de 20 motas atrás de nós em caravana, alguns amigos acompanharam-nos até Elvas. Tinha começado a aventura!