Gerês Mototrip 2016

Andámos pelo Gerês 🙂

Desde a Vila do Gerês a Pitões das Júnias, à área de Castro Laboreiro ou Soajo com passagens breves por Espanha. Nesta segunda vez que fizémos férias pelo Gerês fomos de mota e corremos o mais possível por todo o parque natural. Procuramos locais menos conhecidos e alguns menos acessíveis, perguntámos aos locais, evitando alguma confusão – já conheciamos os locais principais (Pedra Bela, Ermida, cascatas do Arado ou Portela do Homem Tahiti/Fecha das Barjas, etc) os quais tem bastante afluência nos meses de verão – embrenhamo-nos por estradas de terra mal tratadas com buracos e pedras, caminhos e trilhos. O Gerês vale sempre a pena, há sempre o que descobrir e nunca deixa de deslumbrar, para a próxima haverão sempre coisas novas para encontrar.

Esta publicação chega tarde mais pela falta de tempo para a escrever (fomos em Julho) mas chegou e vem acompanhada da nossa galeria de imagens e lista de locais. Visitem e “percam-se” pelo Gerês, não se vão arrepender. Ah, não se esquecam de jantar pelo menos uma vez na Lurdes Capela, na Vila do Gerês. Fecham cedo e não reservam mesas 🙂
Locais que já tinhamos visitado:

  • Vila do Gerês – No centro do Gerês, onde ficámos alojados das duas vezes.
  • Ermida
  • Cascatas do Tahiti/Fecha das Barjas (Abaixo da Ermida, muito fácil acesso, mas perigosas de circular)
  • Miradouro da Pedra Bela
  • Lindoso – Famosa pelos espigueiros
  • Cascata do Arado (da Pedra Bela para a Ermida)
  • Cascata(s) da Portela do Homem (Situada perto da fronteira, na estrada paga/zona protegida onde é proíbido parar e estacionar, o habitual é estacionar na fronteira e descer a pé)
  • 7 Lagoas (já mais longe, acesso via carro/mota por estrada de terra batida de cerca de 5km e em más condições)
  • Poço Azul – não é toda a gente que consegue dar com o caminho, mas vale a pena. A seguir à Cascata do Arado segue a estrada de terra por uns 2/3km e a certo ponto é continuado o caminho por um trilho pedonal. O melhor é seguir um track ou ir com quem saiba.
  • Barragem de Vilarinho das Furnas – Vale mais a pena se tiverem a sorte de a apanhar vazia e conseguirem ver a vila submersa.

Novos Locais que visitámos:

  • Cascata da Rajada – Desde o largo da igreja da Ermida seguem-se as placas e o caminho de terra até final onde tem o acesso pedonal. É possivel fazer de carro (jipe) ou mota (trail). Chegando à cascata não promete muito, mas subindo todas as pedras até ao início onde tem a queda de água somos recompensados com uma bela lagoa.
  • Cascata de Pincães – assim rapidamente, a mais bonita em que estivemos, já com algum tratamento para ser preservado o lago/lagoa. O acesso é relativamente simples se perguntar a um local, estrada de terra e trilho com pedras.
  • Cascata Cela de Cavalos – Ao chegarem à localidade de Lapela vêm na estrada principal uma placa a sinalizar a cascata. Ignorem essa placa (o que nós não fizemos e andámos 3km a pé, pois a certo ponto nem a mota passava naquela estrada) o acesso pela localidade seguinte (Cela) é muito mais simples.
  • Pitões das Júnias – Uma aldeia muito engraçada. Parámos na Taberna Terra Celta e rapidamente (ou não, pois estivemos 2h na conversa) nos indicaram uma ou outra cascata mais escondida para irmos, em vez das mais conhecidas onde só fomos tirar fotos à queda de água, depois dr descer – e subir – os 220 degraus de madeira. As estradas de e para lá são excelentes para andar de mota.
  • Castro Laboreiro – a localidade foi um pouco uma desilusão pois iamos com expectativas altas, mas valeu muito a pena pois as estradas e os sítios por onde passámos para ir de lá ate Soajo foram fantásticos.
  • Soajo – Muito giro. Pão de ló espetacular na padaria, bem lá no centro onde nos indicaram o caminho para o ponto seguinte, mesmo lá ao lado.
  • Poço Negro – um cascata com uma lagoa grande e funda, com pedras altas de onde se pode saltar 🙂 Acesso simples junto à estrada.
  • Cabril
  • Ponte de Misarela

Deverão faltar locais novos ou já visitados na lista, além do que está para o lado espanhol, pois também fizemos muita estrada, o Gerês tem estradas muito boas para fazer de mota.

Fica a galeria!! Boas curvas!

One thought on “Gerês Mototrip 2016

Deixar uma resposta