Picos de Europa 2017

Desta vez aproveitámos uma semana de ponte e feriado para juntarmos mais uns dias e rumarmos até ao norte de Espanha, tendo como destino o parque natural dos Picos de Europa. Sendo um destino de eleição para motociclistas a expectativa era alta, mas foi até superada devido à diversidade de climas com que nos deparámos, encaixando perfeitamente no resto da viagem.

 

Ferreira do Zêzere

No primeiro dia saímos de Lisboa tendo como destino um parque de campismo a cerca de 200km, de forma a poupar caminho para o dia seguinte, Sábado. Encontrámos a Quinta da Cerejeira, a qual foi uma agradável surpresa, pois mesmo sendo um espaço limitado em área tem um excelente ambiente familiar.


Castelo Novo / Sortelha / Meda

No segundo dia saímos tendo como destino o parque de campismo de Meda. Sempre por estradas nacionais aproveitámos para visitar Castelo Novo, onde encontrámos uma feira de produtos locais, na sua primeira edição, e de onde trouxemos um belo queijo pa ir comendo durante a viagem. Visitámos ainda Sortelha e a sua zona histórica dentro das muralhas. Chegando a Meda, e depois de bem instalados no parque (éramos as únicas pessoas a acampar), era hora de jantar e ver o Derby!

 

Foz Côa / Zamora

No terceiro dia de viagem tínhamos como destino Riaño, já na entrada do parque nacional dos Picos de Europa. Com pequeno almoço tomado em Vila Nova de Foz Côa, e depois de alguns produtos locais comprados, decidimos abdicar de Bragança e fazer a viagem por Zamora. Todo o caminho ao longo do Douro é de uma beleza extraordinária e vale muito a pena fazê-lo! Em Zamora visitámos o centro histórico, bebemos uma cerveja e ainda visitámos o D. Afonso Henriques, seguindo de seguida directos para Riaño!

 

Riaño

A chegada a Riãno vindo de sul causa algum impacto, pelo lago enorme e a vista dos picos ao fundo, ainda cobertos de neve. Ao chegar no dia anterior fomos ainda brindados com um por-do-sol magnífico, o qual contemplámos de um miradouro à entrada da vila.

 

Valdeón / Covadonga / Sotres / Tresviso

Acordámos em Riaño com o mesmo sol dos últimos dias, sem uma nuvem no céu. Saímos para visitar Valdeón e o Mirador do Tombo, indo de seguida para Covadonga. Numa paragem para abastecer antes de Covadonga, encontrámos um trio de Portugueses (os quais infelizmente não sei o nome, um casal e mais um rapaz). Os dois primeiros numa montada e o terceiro na sua SYM fiddle 125, a provar que se pode viajar e subir os picos em qualquer mota – um abraço para os 3! Após visitarmos o Santuário e a Santa Cueva subimos até aos lagos de Covadonga, sendo o nosso almoço perto dos lagos no Mirador de la Reina, o qual tem uma vista fenomenal (como é comum nos Picos de Europa). O destino final deste dia era o nosso Hostel em Intriago, mas de forma a aproveitar o tempo excelente decidimos alongar o dia e conseguimos ainda visitar Sotres e Tresviso, já no maciço central, sendo Tesviso a vila com acesso via estrada mais demorado, através do centro do parque nacional. Este dia reservava uma bela supresa no final..

      

 

Benia de Onís / Potes

A nossa surpresa do dia anterior foi, por termos chegado já tarde ao alojamento, não nos conseguirem avisar a tempo que haveria um problema e que não poderiam alojar ninguém.  A solução foi rápida e sem discussão, transferiram-nos de um hostel em Intriago…para um hotel de 4* em Benia de Ónis, sem qualquer custo adicional! Depois de aproveitarmos as belas comodidades e o excelente pequeno almoço, seguimos para Potes, uma viagem curta mas já debaixo de chuva. Aproveitámos para visitar Potes a pé nesse dia chuvoso na esperança de melhores condições meteorológicas no dia seguinte.

 

Fuente Dé

Acordámos em Potes e ao olhar lá para fora…havia muita chuva. Uma desilusão, mas ainda assim decidimos ir a Fuente Dé, pois com chuva ou sem chuva seria um local a visitar, eram apenas 25km. A cerca de 2km de Fuente Dé, após aumentar consideravelmente a altitude, reparámos numa lista branca ao longo das árvores, sem darmos por isso começa a nevar bastante, foi um cenário mágico, mesmo com o tempo nublado. Ao chegar ao teleférico de Fuente Dé o mesmo desaparecia ao subir pelo meio das nuvens, decidimos subir de qualquer forma e no topo do teleférico encontrámos muita neve, -2ºC com sensação térmica -6ºC e o helicóptero da protecção civil. Saímos de Fuente Dé nesse dia contentes com a neve e com destino a Burgos, mas ao atravessar o vizinho Parque Natural Fuentes Carrionas y Fuente Cobre, fizémo-lo totalmente coberto de neve mais uma vez, com muito vento e com muito frio, o que dificultou bastante a viagem, pois o vento lateral muito forte manteve-se até Burgos.

 

Burgos

Em Burgos tivemos tempo para uma visita rápida por algumas zonas da cidade e para um jantar maravilhoso na Cevecería Morito , onde também conhecemos um casal de Americanos que tinham acabado de voltar de Portugal, maravilhados com o nosso país. Estava sol e o frio não era tanto mas a temperatura manteve-se  nos 1ºC.

 

Salamanca / Idanha-a-nova

Viajámos de Burgos até Idanha-a-Nova, com uma paragem em Salamanca para almoço e visitar uma parte da cidade. Entrámos em Portugal pela Sierra de Gata e Navafrias onde existem óptimas estradas e em Idanha-a-Nova voltámos ao campismo!

 

Monsanto / Avis

Neste dia tínhamos apenas planeado visitar Monsanto, onde fomos durante a manhã. Tendo ainda um dia de folga decidimos acampar em Avis, onde já conhecíamos o parque e onde nos esperava um final de dia óptimo para relaxar e aproveitar a última noite, com campismo e com umas imperiais, depois de uma sesta na cama de rede.

 

Voltámos no dia seguinte a Lisboa, muito satisfeitos com esta roadtrip que proporcionou de tudo e felizes com mais uma excelente viagem de mota.

Até à próxima viagem, fiquem com a nossa galeria de imagens!

 

2 thoughts on “Picos de Europa 2017

  1. Grande jornada! Belíssimas fotos!
    Só acho que devia de colocar um mapa com o trajecto percorrido, para o leitor tem uma mais fácil percepção do caminho e kms feitos 😉

  2. Muito bom 😉 Mais uma bela volta que tenho que tentar fazer um dia destes. Abraço

Deixar uma resposta